Veja o que você precisa saber sobre a moeda digital do Facebook, a Libra

Este tem sido o segredo menos guardado do mundo, o Facebook finalmente anunciou sua nova moeda digital global chamada “Libra”. Ela recebeu apoio de empresas como Uber, VISA e Spotify, e permitirá aos usuários fazer pagamentos através de aplicativos do Facebook, bem como via o serviço de mensagens, WhatsApp.

A partir do início de 2020, os usuários poderão comprar a Libra diretamente da plataforma do Facebook e armazená-la em uma carteira digital chamada Calibra. Eles poderão enviar a moeda para outros usuários por meio de serviços de mensagens instantâneas, como o Messenger e o WhatsApp. Os usuários também poderão pagar contas, comprar produtos do dia-a-dia e usá-la no sistema de transporte local.

O Facebook afirmou que as transações são de baixo a nenhum custo, embora saibamos que ele receberá uma pequena comissão sobre pagamentos feitos através de suas plataformas.

Onde posso gastar essa moeda?

O Facebook enfatizou que a Libra será gerenciada independentemente por um grupo de empresas e instituições de caridade – entre as quais o Facebook é apenas uma – chamada Associação Libra. Assim, o Facebook pode diluir as preocupações com segurança e privacidade e garantir que a moeda tenha mais chances de sucesso.

Todos os membros provavelmente aceitarão a Libra, ajudando assim a impulsionar a adoção da moeda e a torná-la corrente. Dentre essas empresas estão:

– Empresas de pagamento, como Mastercard e PayPal

– Empresas digitais, incluindo eBay, Spotify e Uber

– Empresas de telecomunicações como a Vodafone

– Instituições de caridade como o Women’s World Banking. O Facebook também disse que espera que a Libra seja comprada e vendida nos mercados de câmbio no futuro.

Por que o Facebook criou isso?

O Facebook afirmou que a Libra foi criada para lidar com questões de inclusão financeira global, citando que aproximadamente 1,7 bilhão de adultos em todo o mundo não têm uma conta bancária.

Ele disse que a questão de ser “um sem banco” afetou desproporcionalmente as pessoas nos países em desenvolvimento e, em particular, as mulheres. A ideia, portanto, é que a Libra desbloqueie o acesso a serviços financeiros para essas pessoas.

No entanto, embora a moeda tenha luz verde para ser lançada nos EUA, não está claro o que acontecerá em lugares como a Índia, que recentemente condenou moedas digitais.

De fato, os primeiros relatórios sugerem que apenas 12 mercados estarão prontos para adotar a Libra no momento em que ela for lançada.

Não há dúvida de que Libra mudará a forma como interagimos com organizações financeiras e forçará os bancos a reavaliarem seus serviços. Mas só o tempo dirá se será bem-sucedida ou se se tornará apenas mais uma tecnologia que não atingiu conseguiu convencer os consumidores.

Você está animado com a Libra? Fale conosco na seção de comentários abaixo. Alternativamente, leia nossos outros posts sobre cryptomoedas: