Qual o papel dos satélites na implementação do 5G?

A próxima geração de conectividade móvel – 5G – tem a capacidade de remodelar o mundo ao nosso redor. Além de jogos de baixa latência e streaming de vídeo sem interrupções, está ajudando a habilitar atividades que só existiam na nossa imaginação – como tele cirurgia, redes elétricas inteligentes e UAVs (veículos aéreos não tripulados).

Claro, tudo isso ainda é hipotético, a menos que o 5G alcance a ampla disponibilidade de cobertura que precisa para ser verdadeiramente útil. Para atender a essa necessidade de cobertura universal, uma tecnologia de satélite está sendo desenvolvida.

Por que precisamos de satélites 5G?

Para as pessoas que vivem em comunidades rurais mais distantes, o alcance da conectividade móvel é deficiente ou inexistente. Isso acontece devido ao alto custo de implementação de antenas e toda uma infraestrutura que servirá apenas a uma pequena comunidade. Embora medidas tenham sido tomadas para lidar com essa desigualdade em termos de conectividade rural versus urbana – conforme abordado pelo Ofcom no Reino Unido – não é surpresa ver que as primeiras tentativas de implementação de 5G se concentraram em áreas de maior densidade, onde provedores de telecomunicações podem alcançar mais clientes.

Os satélites, embora não sejam baratos para desenvolver, podem ser mais acessíveis para construir do que a infraestrutura necessária para atender partes remotas do globo com conectividade. Eles serão fundamentais para levar velocidade e todos os serviços da próxima geração a partes do mundo que antes lutavam para obter qualquer tipo de conexão.

Os satélites 5G são melhores do que as antenas?

Os satélites têm outra vantagem sobre as antenas. Como o 5G usa ondas mais curtas e opera em frequências mais altas – permitindo mais transmissão de dados – ele precisa de uma quantidade maior de antenas para manter o sinal.

Isso é muito bom em áreas urbanas, mas é menos viável à medida em que o usuário se afasta da estação base. Os satélites corrigem esse problema simplesmente porque não precisam da infraestrutura que a implantação de uma rede física de antenas precisa.

Para os provedores de telecomunicações, os satélites também oferecem a vantagem de não poderem ser adulterados caso o público decida se manifestar em resposta as diversas preocupações infundadas sobre saúde e 5G. Os satélites também são imunes à ameaça de desastres naturais.

E os satélites e a IoT?

Os satélites 5G também estão bem posicionados para atender ao mundo em constante expansão da IoT. À medida que a Internet das Coisas continua a crescer e se tornar mais sofisticada, ela precisa de um meio de conectividade consistente que possa ajudá-la a lidar com vulnerabilidades de segurança contínuas.

Com ampla cobertura e capacidade de transmissão, os satélites estão bem posicionados para oferecer suporte à IoT. Eles podem fornecer conectividade de uplink compartilhada para uma grande quantidade de dispositivos IoT ao mesmo tempo.

Emparelhados com a infraestrutura terrestre “tradicional” – como antenas – os satélites têm a capacidade de tornar realidade a ampla conectividade 5G. Eles também estão bem posicionados para oferecer suporte a desenvolvimentos tecnológicos futuros, como a IoT, devido a uma combinação de taxas de dados mais altas e latência mais baixa.