Quais são os novos recursos do iPhone 11, iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max?

A Apple mais uma vez anunciou sua mais recente seleção de iPhones, e lançou em Setembro de 2019 o iPhone 11, o iPhone 11 Pro e o iPhone 11 Pro Max. No entanto, apesar da euforia devido à queda de preço, o lançamento dos novos modelos mostra que a Apple também introduziu uma série de novos recursos, alguns dos quais exploramos abaixo.

Câmera

Começando pelo que para muitos é o recurso mais esperado, a câmera recebeu claramente uma atenção especial. A resolução foi atualizada, subindo 5 megapixels da sua antecessora, o iPhone XR, subindo de 7MP para 12MP. Por curiosidade, o Google Pixel 3a possui uma câmera de 12.2MP, enquanto o Samsung Galaxy Fold 5G possui uma câmera de 16MP.

Além dessa atualização, a Apple também incluiu recursos que visam melhorar a versatilidade da câmera. O “Modo Noturno”, por exemplo, foi introduzido para aliviar o desafio de tirar fotos com pouca iluminação, aprimorando automaticamente o brilho em configurações mais escuras. Além disso, esses iPhones mais recentes têm um novo layout de lente da câmera; a lente “Wide” original acima e a nova lente “Ultra-Wide” abaixo, que pode capturar quatro vezes mais cenas.

Além disso, o iPhone 11 Pro e o 11 Pro Max também incluem uma “lente telefoto” adicional, originalmente introduzida no iPhone XR, que oferece um maior alcance de foco. Quando combinada com as outras duas lentes, elas permitem que os usuários tirem fotos com aparência mais profissional do que é possível tirar nas versões mais antigas do iPhone.

Outra característica original é o que a Apple está chamando de “slofie”; um vídeo em câmera lenta de alta qualidade gravado no modo selfie, que certamente pode ser usado para apimentar qualquer conteúdo que você nas redes sociais.

Além disso, se você é um cinegrafista entusiasmado, o iPhone 11 oferece o vídeo de mais alta qualidade em um smartphone, lhe permitindo gravar em uma resolução de 4K a 60 quadros por segundo.

Tela

Não houve nenhuma melhoria na qualidade da tela na versão básica – o iPhone 11 e o iPhone XR possuem telas Liquid Retina HD, mas se você optar pelo Pro ou Pro Max, terá uma tela “Super Retina XDR” que com certeza maximiza os novos recursos da câmera.

Um dos principais focos da Apple na comercialização do iPhone 11 é o chip de processamento. O novo chip A13 Bionic é 30% mais econômico em bateria que o chip A12 anterior e o mais rápido em qualquer smartphone, tornando tudo o que você faz rápido e fluido, além de durar mais tempo. A Apple também combinou esse chip com uma bateria aprimorada, o que significa que o aumento na velocidade de processamento não deve afetar sua durabilidade.

5G

Uma coisa que não mudou no alcance do iPhone 11 é a geração de rede que ele oferece aos usuários, optando por ignorar a oportunidade de incorporar 5G nos novos modelos. 5G é a rede de dados de última geração que já pode ser encontrada em dispositivos como o Samsung Galaxy S10 5G e o OnePlus 7 Pro 5G; ela promete ser de 10 e 100 vezes mais rápida que a 4G, proporcionando assim um grande salto no compartilhamento de dados. No entanto, a Apple já anunciou que ela estará presente nos iPhones 2020, pois é provável que isso coincida com a 5G estar disponível em uma escala mais utilizável, uma vez que a infraestrutura que possibilita isso estará mais difundida. Com as redes 5G em 2019 ainda em estágio inicial de desenvolvimento, fica mais caro comprar um telefone com essa tecnologia incorporada. Portanto, esperar até que mais telefones a ofereçam como parte do plano, pode valer a pena.

Como fica

Esteticamente, o novo iPhone se afastou das versões anteriores, que ofereciam opções de cores vibrantes, e acabou optando por uma gama de cores em tons pastéis. No entanto, isso só pode ser dito para o iPhone 11 e não para o Pro ou Pro Max, que tem as opções usuais de prata, ouro e cinza espacial, juntamente com a adição de “Midnight Green”. O hardware em si também é um pouco mais à prova d’água do que os modelos anteriores, o que é benéfico para um cliente de iPhone desajeitado. E, como a Apple matou oficialmente o botão home com o iPhone X, o iPhone 11 continua com a tendência de utilizar o Face ID, que a Apple chama de “a autenticação facial mais segura em um smartphone … ainda mais segura que o Touch ID”.

No geral, parece que foi a câmera quem sofreu a maior mudança nesta versão do iPhone – mas quais são seus pensamentos sobre os modelos mais recentes da Apple? Deixe-nos saber nos comentários abaixo. Se você gostou desse post, pode achar esses outros interessantes também: