Os desenvolvimentos mais interessantes da tecnologia automotiva

Embora possa parecer que os carros já tenham utilizado seu quinhão em inovações tecnológicas, como o GPS integrado e os Sistemas Inteligentes de Assistência ao Estacionamento, historicamente o investimento em tecnologia tem sido lento. Mas agora, a indústria automotiva está passando por uma transformação impulsionada pela tecnologia, com mais mudanças nos últimos três anos do que nos últimos 50. Portanto, onde ocorreram as mudanças mais significativas quando falamos de carros conectados?

Construindo veículos com impressão 3D

A impressão 3D transformou a indústria automotiva. A tecnologia evoluiu drasticamente, se antes era usada para construir protótipos, hoje temos veículos inteiros sendo impressos do zero em 44 horas. Na verdade, a tecnologia agora está tão avançada que empresas estão afirmando que poderemos ver o primeiro carro impresso em 3D do mundo nas estradas, em abril de 2019.

Mas os fabricantes de carros não são os únicos que aproveitam essa tecnologia. BigRep, um fabricante de impressoras 3D industriais e de grande escala, anunciou recentemente que construiu uma motocicleta elétrica totalmente funcional, impressa em 3D. Anunciada como uma novidade mundial, a moto, chamada Nera, levou três dias para ser impressa e custou cerca de £ 2.000. Para os fabricantes de automóveis, a impressão 3D acelera o processo de desenvolvimento de produtos e reduz custos, enquanto que para os clientes, uma moto 3D, mais leve, deve consumir menos combustível e, por isso, ser mais eficiente para o meio ambiente, uma vez que chegar ao mercado.

Propriedade e Carros como serviço

A ideia tradicional de possuir um veículo também passará por uma transformação radical nos próximos anos. Em Abril de 2019, a fabricante de carros Tesla anunciou seu plano de lançar “robotaxis” como parte de uma rede de compartilhamento de carros, prevista para 2020. Através de um aplicativo, a Tesla permitirá que proprietários adicionem seus veículos para frota compartilhada, com o fim de ganhar dinheiro ou, alternativamente, para que se possa chamar um veículo que busca e leva a um determinado destino.

Os carros não são os únicos veículos que estão passando por essa mudança. Nos centros de cidades, como Paris e Milão, os ciclomotores elétricos de 50cc estão disponíveis para locação com esquemas como o Cityscoot. O esquema permite que qualquer pessoa com mais de 20 anos, com uma licença relevante, localize o veículo mais próximo por meio de um aplicativo, desbloqueie-o usando um código e passeie com ele pela cidade pagando uma pequena taxa por minuto.

Esses serviços oferecem flexibilidade para você determinar exatamente o quanto você vai usar o veículo e decidir se vale a pena comprar um ou usar um serviço de pagamento conforme a usabilidade.

Veículos elétricos

O desenvolvimento mais significativo da indústria automotiva tem sido o impulso em direção aos veículos elétricos. Enquanto muitos associam carros elétricos a empresas inovadoras como a Tesla, tanto o mercado de luxo quanto o de carros elétricos regulares estão passando por mudanças drásticas. A Automobili Pininfarina, por exemplo, criou o “hipercarro” elétrico – o carro mais rápido de todos os tempos. Além disso, no mercado regular de carros elétricos, o número de veículos vendidos deve quadruplicar até 2020.

O movimento em direção à eletricidade para abastecer os veículos vem da necessidade de depender menos dos combustíveis fósseis e melhorar a poluição do ar. Em sete países europeus, planos para proibir a venda de carros e vans a diesel e gasolina foram anunciados por essa mesma razão. Os veículos elétricos também vêm com incentivos para os clientes, como imposto rodoviário mais barato, maior eficiência e custos operacionais muito mais baixos. Como resultado, os fabricantes de automóveis não terão escolha a não ser produzir mais veículos elétricos no futuro, especialmente à medida em que a infraestrutura que suporta esses veículos melhorar.

Veículos autônomos

Os testes para carros totalmente autônomos continuam em alguns dos maiores fabricantes de automóveis e gigantes da tecnologia, como o Google, envolvidos na indústria. Carros autônomos estão longe de serem perfeitos, mas estão melhorando e há muito o que se esperar.

Por exemplo, o Google informou recentemente que, dos 11 acidentes ocorridos com carros autônomos da empresa, nenhum foi culpa dos próprios carros. A empresa de tecnologia autônoma FiveAI também está confiante de que seus carros sem motorista estão prontos e começaram a testar cinco carros autônomos em Bromley e Croydon como o mais recente passo em seus planos de finalmente implantar um serviço autônomo de compartilhamento de carros em Londres.

Embora os carros precisem reagir melhor a um comportamento humano imprevisível, a tecnologia de IA que analisa os algoritmos de aprendizagem profunda e permite que ela responda ao que está acontecendo aos arredores do veículo, é agora tão poderosa que também pode prever com precisão quais objetos poderão aparecer no caminho durante uma viagem do veículo . Na verdade, a demanda para que eles aprendam o que fazer nessas situações é tão grande que as empresas criaram simulações, porque não é possível esperar que os veículos atuais acumulem as horas de direção necessárias para tal. Cada veículo também disponibiliza as informações que ele aprende para o restante da frota, resultando em uma rede que está constantemente aprendendo umas com as outras.

No atual ritmo dos testes e relatórios de investimento, até 2040, os carros sem motoristas responderão por cerca de 75% do tráfego nas estradas do mundo, mudando assim a forma como dirigimos para sempre.

Você está animado com essas mudanças na tecnologia automotiva? Fale com a gente deixando um comentário abaixo.