As Gerações de Redes Móveis de Telefonia: Entenda

A rede 5G e seus diversos benefícios, estão a caminho. Mas para chegar até aqui, como cada geração de rede de telefonia móvel sem fio se desenvolveu?

Grande parte das conversas no setor de telefonia móvel no momento, gira torno dos benefícios do 5G e para quando podemos esperar seu lançamento. Porém, muitos consumidores se lembram de quando 2G, 3G e 4G eram a mais recente inovação em conectividade móvel. Cada geração de rede trouxe um marco significativo no desenvolvimento das comunicações móveis de telefonia, cujos benefícios detalhamos abaixo.

Primeira Geração (1G)

As redes móveis de primeira geração dependiam de sistemas analógicos de rádio, o que significava que os usuários só podiam fazer chamadas telefônicas, não podiam enviar ou receber mensagens de texto. A rede 1G foi introduzida pela primeira vez no Japão em 1979, antes de ser lançada em outros países, como os EUA, em 1980. Para funcionar, torres de celular foram construídas em todo o país, o que significava que a cobertura de sinal poderia ser obtida de distâncias maiores. No entanto, a rede não era confiável e tinha alguns problemas de segurança. Por exemplo, o serviço costumava cair, sofria interferência de outros sinais de rádio e, devido à falta de criptografia, podia

Segunda Geração (2G)

A rede 1G não era perfeita, mas permaneceu até 1991, quando foi substituída pela 2G. Esta nova rede móvel funcionou com sinal digital, não analógico, o que melhorou enormemente sua segurança e capacidade. Na 2G, os usuários podiam enviar mensagens SMS e MMS (embora lenta e frequentemente sem sucesso) e quando o GPRS foi introduzido em 1997, os usuários podiam receber e enviar e-mails enquanto em movimento. ser facilmente hackeada. Isso significa que, com algumas ferramentas, as conversas podiam ser ouvidas e gravadas.

Terceira Geração (3G)

Redes móveis de terceira geração ainda estão em uso hoje, normalmente quando o sinal 4G vem a falhar. A 3G revolucionou a conectividade móvel e as capacidades dos telefones celulares. Em comparação com 2G, a 3G foi muito mais rápida e pôde transmitir maiores quantidades de dados. Isso significa que os usuários puderam fazer chamadas de vídeo, compartilhar arquivos, navegar na Internet, assistir TV e jogar on-line pela primeira vez em seus celulares. Sob a tecnologia 3G, os celulares deixaram de ser úteis apenas para ligações e mensagens de texto e se tornaram o centro da conectividade social.

Quarta Geração (4G)

A introdução da 4G foi um passo além da revolucionária 3G. É cinco vezes mais rápida – e pode, em teoria, fornecer velocidades de até 100Mbps. Todos os modelos de celulares lançados a partir de 2013 suportam essa rede, que pode oferecer conectividade para tablets e laptops, além de smartphones. Com o 4G, os usuários podem experimentar melhor latência (menos buffer), maior qualidade de voz, fácil acesso a serviços de mensagens instantâneas e mídias sociais, streaming de qualidade e fazer downloads mais rápido.

Quinta Geração (5G)

A rede 5G ainda está para ser lançada, mas é amplamente esperada pela indústria de telefonia móvel. Muitos especialistas afirmam que a rede vai mudar não apenas o modo como usamos nossos celulares, mas como conectamos nossos dispositivos à Internet. A velocidade e a capacidade melhoradas da rede, sinalizarão novas tendências de IoT, como carros conectados, cidades inteligentes e IoT em casa e no escritório. As operadoras móveis afirmam que a rede 5G estará disponível até 2020, mas nada está certo ainda. Para mais informações sobre 5G e IoT, confira nossa entrevista com Dr. Hamid Falaki, Arquiteto Técnico da Digital Catapult, falando sobre como a rede 5G irá melhorar a Internet das Coisas.

Para uma representação visual da jornada das redes móveis até a 5G, por favor veja nosso infográfico abaixo com uma linha do tempo mostrando o desenvolvimento das gerações.