É possível pegar um vírus simplesmente clicando em um link?

Se você clicar em um link existente num e-mail categorizado como phishing, você infectará sua dispositivo automaticamente com um vírus? Nosso post explica bem como isso funciona.

Em uma era de crimes cibernéticos e violações de dados, fraudadores tentarão de tudo para induzi-lo a entregar seus dados, para que assim, possam lucrar com isso. Todo mundo sabe que devemos estar vigilantes, mas pode ser muito fácil confundir um e-mail fraudulento com um legítimo. Chamado de phishing, esse ataque faz com que um hacker envie um e-mail contendo um link para um site falso ou vírus. Mas se você simplesmente clicar no link, você pegará o vírus automaticamente ou ainda terá tempo de se recuperar?

A resposta é: depende do tipo de link enviado pelo hacker. Se o link em que você clicar conter um código malicioso, é perfeitamente possível que você possa ativar um vírus. Embora a maioria dos PCs e tablets contenha um software antivírus e de proteção de navegação atualizados, se você estiver executando aplicativos desatualizados, estará se colocando em risco. Você deve sempre atualizar seu software para executar a versão mais recente, pois isso elimina qualquer bug que possa expor seus dispositivos a hackers. A maneira mais fácil de se proteger contra isso é atualizar regularmente todos os seus aplicativos e verificar se você possui a versão mais recente do antivírus instalado.

No entanto, se o link não conter um código malicioso, muitas vezes você será redirecionado para uma página da Web onde você será incentivado a fornecer seus dados pessoais ou fazer o download de anexos. Se este for o caso, normalmente você terá a chance de sai

Além dessas dicas, você deve sempre lembrar:

  • Se parece errado, provavelmente está errado. Phishing geralmente parece bem suspeito. Se você encontrar erros de digitação em um e-mail supostamente do seu banco, isso é com certeza é um ponto de atenção. O mesmo vale para o uso de letras maiúsculas no assunto do e-mail ou pontos de exclamação em excesso.r do navegador ou desligar o dispositivo. Ao fazer isso, você pode minimizar o risco de se tornar uma vítima do hacker.
  • Verifique o endereço de e-mail com cuidado. Se você recebe e-mails de uma empresa regularmente, esses e-mails geralmente virão do mesmo endereço. Se você começar a receber e-mails de um endereço diferente, especialmente um que pareça estranho, pode ser uma tentativa de invasão.
  • Fique atento a apresentações impessoais. Seu banco, Paypal ou sites de e-commerce saberão seu nome, portanto, se você começar a receber e-mails de empresas que se referem a você como “Caro cliente” ou uma variação semelhante, é um sinal óbvio de alerta.
  • Cuidado com ameaças e prazos de urgência. Às vezes, uma empresa respeitável precisa que você faça algo com urgência, mas geralmente, ameaças e urgência são um sinal de phishing: se você for exigido a fazer algo para impedir que sua conta seja fechada, ou dentro de um prazo apertado, é motivo de suspeita.
  • Seja cauteloso com números de telefone e links da web. Se você receber um e-mail pedindo para fornecer seus dados pessoais ou para ligar para um número aleatório, o melhor a fazer é buscar o site oficial e usar os detalhes de contato do site. E se você for solicitado a clicar em um link que pareça legítimo, passe o mouse sobre ele para ver se você não está sendo enviado para um site diferente – se sim, não clique nele.
  • Não pense que o phishing acontece apenas via e-mail. Embora o phishing geralmente ocorra por e-mail, muitos dos ataques são realizados por meio de sites falsos, software de mensagens instantâneas e outros canais. Você deve estar sempre alerta quando empresas ou pessoas aparentemente confiáveis tentarem fazer com que você compartilhe dados que possam comprometer sua segurança on-line.

Lembrando dessas dicas, você vai evitar o pânico de clicar em um link malicioso. Para mais informações sobre golpes de email, confira nosso infográfico sobre como identificá-los.