Como funciona o Wi-Fi no avião? É seguro?

Com nossos dispositivos sendo agora parte essencial de qualquer voo longo, não é surpresa que algumas companhias aéreas tenham começado a permitir que seus passageiros se conectem ao Wi-Fi enquanto estão a bordo. Isso não beneficia apenas os passageiros que precisam trabalhar sem interrupção, mas também oferece conforto aos entes queridos que podem estar preocupados com voos atrasados. Então, como essa tecnologia funciona? Bom, com um objeto em movimento, não é tão simples quanto se conectar ao Wi-Fi da sua casa. Continue a ler para saber mais.

Hardware a bordo

Para permitir que passageiros se conectem ao Wi-Fi da cabine do avião, existem vários pontos de acesso (WAPs). Um avião grande, de corredor duplo, pode ter até seis acessos, enquanto um charter padrão tem cerca de dois. A partir do WAP, a conexão do passageiro é roteada por meio de um servidor integrado a uma rede externa. O objetivo é fazer com que a conexão do passageiro seja o mais contínua possível à medida que a aeronave se movimenta no céu. É como se você estivesse usando o telefone para transmitir enquanto está em um trem em movimento.

Voos sobre terra

Existem duas maneiras de um sinal de Internet alcançar seu dispositivo a 35.000 pés. O primeiro é por meio de torres de banda larga móvel baseadas no solo. Aqui, a torre mais próxima envia sinais diretamente para as antenas de uma aeronave para fazer a conexão. As células dessas torres são muito maiores do que as típicas torres de celulares usadas para telefones. Conforme você viaja em diferentes seções do espaço aéreo, o avião se conecta automaticamente aos sinais da torre mais próxima. Isso só funciona se sua aeronave estiver voando sobre terra, pois essas torres não existem no oceano.

A desvantagem dessa forma de conexão é que ela possui um espectro limitado. Por exemplo, a largura de banda para o sistema de geração mais recente é de até 9,8 megabits por segundo, por avião (compartilhados por todos os usuários). Isso é suficiente para e-mail e navegação casual na web, mas se esgotaria rapidamente se as pessoas resolvessem transmitir vídeo, portanto tal função geralmente é bloqueada.

Voos internacionais

A segunda maneira pela qual o Wi-Fi pode ser reproduzido em voos sobre os oceanos é via satélite. Aqui, a antena de um avião se conecta a satélites próximos em órbita geoestacionária (35.786 km acima do planeta), que enviam e recebem sinais para a Terra por meio de receptores e transmissores. Esses são os mesmos satélites usados em sinais de televisão, previsão do tempo e operações militares.

Uma conexão via satélite oferece cerca de 12 megabits por segundo, por avião, o que é mais rápido do que o Wi-Fi em torres terrestres. No entanto, de acordo com o regulador de comunicações Ofcom do Reino Unido, a velocidade média da Internet doméstica no Reino Unido atingiu 28,9 Mbps em 2016 – portanto, o Wi-Fi em voo ainda tem um longo caminho a percorrer para alcançar o que estamos mais acostumados.

Por que o Wi-Fi durante o voo é tão lento?

Embora a tecnologia Wi-Fi a bordo esteja se desenvolvendo rapidamente, ela tem se esforçado para acompanhar a sofisticação e o número de dispositivos que os passageiros desejam conectar. Com inúmeros aplicativos, sites e serviços, há uma pressão muito maior sobre os recursos. Os satélites também são caros para manter e atualizar, de modo que a tecnologia leva tempo para progredir.

Por que tenho que pagar?

Adicionar uma antena que permite recursos de Wi-Fi a bordo pode sobrecarregar a aeronave, aumentando o arrasto. Como resultado, a empresa tem que gastar mais com combustível. Além disso, o aluguel de antenas em satélites é muito caro, então esse custo costuma ser repassado à companhia aérea e aos passageiros.

O Wi-Fi é seguro?

Você deve estar ciente de que as redes Wi-Fi em aviões não são mais seguras do que outras redes Wi-Fi públicas. Só porque você está no ar, não significa que seus dados não possam ser roubados. A única ressalva é que o ladrão de dados precisa estar no mesmo voo. Portanto, para aqueles que pretendem roubar dados transmitidos por Wi-Fi durante o voo, os voos de companhias aéreas comerciais estão repletos de oportunidades.

Por esse motivo, desaconselhamos o uso deste Wi-Fi para outra coisa que não seja navegar na web. Fazer qualquer pagamento, seja por meio de banco online ou portal online, apresenta risco significativo para o indivíduo, assim como escrever e-mails confidenciais.

Se você precisar usar o Wi-Fi a bordo, recomendamos também o uso de uma VPN quando estiver em uma rede pública, inclusive em um avião, seus dados ficam muito mais protegidos ao serem criptografados. A outra maneira de manter seus dados seguros quando estiver em um avião é investir em uma tela de privacidade. Sem ela, a pessoa sentada ao seu lado pode ver tudo que você está está digitando.